Cromatografia de Interação Hidrofílica

Já ouviu falar em ERLIC?

A Cromatografia Líquida de Interação Hidrofílica de Repulsão Eletrostática (ERLIC) é um novo modo de cromatografia em que uma coluna de troca iônica é eluída com uma fase móvel predominantemente orgânica. Aqui, uma camada enriquecida com água (que hidrata a fase estacionária polar) permite que os analitos hidrofílicos* dividam e ganhem retenção (mesmo que tenham a mesma carga da fase estacionária).

* Hidrofílicas = Possuem afinidade com a água

Ajustando o pH, tipo de sal, concentração de sal e composições de solvente orgânico na fase móvel, pode-se alcançar a separação isocrática de uma mistura de analitos carregados, por exemplo, peptídeos, aminoácidos e nucleotídeos.

Espécies muito básicas e muito hidrofílicas exibem forte retenção em HILIC e, quando presentes em uma mistura de múltiplos componentes de analitos menos polares, requerem eluição de gradiente para separação dentro de um período razoável.

ERLIC é uma técnica de separação alternativa para analitos com altíssimo tempo de retenção.

É escolhida uma coluna de troca iônica que possui a MESMA carga dos analitos. Por exemplo, os nucleotídeos carregados negativamente dos grupos fosfato devem usar uma coluna de troca iônica (com trocadores negativos então catiônica) em ERLIC

No modo HILIC, a fase estacionária é hidratada com uma camada de água de movimento lento, onde os íons hidrofílicos são:

  • Preferencialmente particionado na fase aquosa, isto é, sua retenção é aumentada por interações hidrofílicas;
  • Retido em grupos funcionais da fase estacionária (a retenção é aumentada por um mecanismo de fase normal).

Uma situação semelhante ocorre sob condições ERLIC, onde analitos iônicos são:

  • Preferencialmente particionado na fase aquosa, isto é, sua retenção é aumentada por interações hidrofílicas;
  • Repelido por interações eletrostáticas com grupos funcionais (da mesma carga) presentes na fase estacionária, ou seja, a retenção é diminuída.

A repulsão da mesma fase estacionária carregada e analitos encurta o tempo de retenção, resultando em uma execução de cromatografia mais curta.

Em condições HILIC, analitos iônicos e grupos funcionais da fase estacionária apresentam afinidade entre si e, como consequência, a retenção do analito é aumentada por interações hidrofílicas (partição de moléculas na fase aquosa) e provavelmente por uma fase normal como mecanismo de retenção na fase estacionária fase.

Aplicação: peptídeos, fosfopeptídeos, aminoácidos e proteínas.

Por Pedro Alexandre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.