Água Dura

Água Dura

Quando nos deparamos pela primeira vez com o termo ‘’água dura”, pode ser que desperte certa estranheza. E não, não estamos falando de gelo!

Chamamos de água dura toda água que apresenta teores altos de alguns cátions – valores acima de 150mg/L -, sendo eles cálcio (Ca2+), magnésio (Mg2+) e ferro II (Fe2+) em suas formas aquosas.

Existem algumas formas de identificar a concentração de carbonato de cálcio presente e determinar a dureza da água. A mais comum é a partir de uma análise volumétrica, em que é feita uma titulação* com EDTA (um composto orgânico) e uma amostra de água tamponada com pH = 10.

*Análises feitas a partir de uma titulação são muito simples e práticas para utilizar no nosso dia a dia! A titulação é uma técnica analítica utilizada para determinar a concentração de um determinado analito, através da dosagem de uma solução padrão, com um número definido de moléculas (Titulante).

Consulte um dos nossos artigos para saber mais sobre esse método analítico bastante utilizado em todos os ramos da área química: https://www.amoreiraconsultoria.com/titulacao/

Observe na tabela abaixo as concentrações que determinam a dureza da água:

Mas, afinal de contas, essa presença de cátions é boa ou prejudicial? Dizemos que a água dura é, na verdade, um potencial PROBLEMA no cotidiano.

Um ótimo exemplo é quando precisamos lavar louças e superfícies. O sabão que utilizamos é conhecido por sua propriedade de quebrar as moléculas de gordura, além disso esse produto é um tensoativo aniônico e dissolve-se na água, produzindo ânions e cátions. São seus ânions os responsáveis por diminuir a tensão superficial da água e permitir a limpeza. Porém, quando os cátions citados anteriormente (responsáveis por caracterizar uma água mais dura) reagem com os ânions do sabão, são formados compostos insolúveis que aderem à matéria que está sendo lavada!

A reação, de forma geral, é representada por:

Esses compostos insolúveis caracterizam uma dureza permanente, conhecida também como residual. Podemos observar também a existência de uma dureza temporária, em que a fervura da água ocasiona a decomposição de bicarbonatos de cálcio e magnésio, decorrente da precipitação dos respectivos carbonatos.

A dureza da água também impede a sua utilização de forma industrial, pois ocorre um aumento de risco de acidentes – como explosões de caldeiras, por exemplo. Ao cozinhar vegetais, o efeito também é o contrário do esperado. Ao invés de amolecer, a água dura aumenta a rigidez das leguminosas.

Conhecendo essas propriedades, existem meios de realizar um tratamento/correção desses teores de cátions. Um desses processos conta com a adição de hidróxido de cálcio ou soda cáustica, que reagem com os cátions e formam sais insolúveis. Outro meio é a utilização de abrandadores, fabricados para essa finalidade. Os abrandadores realizam a substituição de cátions com características incrustantes, presentes na água dura, por outros de características não incrustantes!

Se interessou pelo método de titulação citado no artigo? Então conheça nossos Treinamentos Personalizados de Titulação! Te ajudamos a sanar todas as dúvidas para garantir qualidade na sua rotina.  Entre em contato conosco!

Fonte de pesquisa:

https://www.fusati.com.br/agua-dura-tratamento-e-correcao-da-dureza-da-agua/ https://mundoeducacao.uol.com.br/quimica/agua-dura.htm

https://pt.slideshare.net/adriannemendonca/determinao-da-dureza-total-de-gua-com-edta-70632264 https://www.slideserve.com/kalb/dureza-da-gua

https://www.ufjf.br/baccan/files/2012/11/Aulas-Pr%C3%A1ticas-de-Qu%C3%ADmica-Ambiental_Alguns-Experimentos-para-a-Determina%C3%A7%C3%A3o-da-Qualidade-de-%C3%81guas-Superficiais.pdf

 

Por Barbara Helena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.